coluna travel and the city

Travel and the City: Piloto

Nāo é muito difícil constatar que somos todos frutos de nossas referências, e nossos comportamentos e atitudes refletem o que lemos ou nāo, assistimos na TV, no cinema e claro, o quanto do mundo conhecemos, ou estamos dispostos a conhecer. “Travel and the City” é uma referência ao seriado “Sexy and the City”, nāo que esta coluna pretenda falar apenas de Nova York, ou sobre a vida amorosa de alguém e dos amigos de alguém, mas me parece um um bom nome. Comercial, um pouco óbvio, mas que  traduz o que vem pela frente: viagens e lugares. Que pode ser uma viagem tradicional ou uma viagem ao subconsciente. E também pode falar de lugares físicos, ou lugares comuns, e o nāo lugar que as vezes nos encontramos.

E por que viajar é tāo prazeroso? Arrumar as malas e deixar a rotina pra trás é uma fuga com data marcada para retorno, e para quem trabalha no esquema tradicional (de segunda a sexta de 9h às 18h) viajar nas férias é fundamental. Porque na verdade você já começa a se planejar com meses de antecedência e depois volta para o batente naquela depressāo pós-férias que no fundo é um delicioso momento de recordações e histórias para contar. Ou seja, viajar é muito mais do que só os dias que estamos na cidade de destino.

Viajar também ajuda a definir a nossa identidade. Ir para outro lugar que nāo é do nosso cotidiano nos mostra o quanto aquilo que acreditamos ser essencial é tāo pequeno para o próximo, e aí o estresse do dia a dia, as brigas no trabalho e no trânsito começam a perder o sentido. E de forma prática, viajar te liberta, pois a sensação de imaginar que você nunca mais verá aquelas pessoas na sua vida dá uma outra perspectiva e vontade de aproveitar o momento sem medo do julgamento alheio e julgamentos próprios.

Falando em julgamento e sobre a insegurança de encarar quem somos, demorei uns bons anos para assumir minha formaçāo de jornalista. O jornalismo expõe nāo só fatos mas também a quem escreve, e percebi que é preciso coragem para assumir nossas referências, sejam elas um bom filme de Hitchcock e/ou um bobo episódio de “Sex and The City”. Assim como viajar pode ser incrível se você for para Nova York ou igualmente prazeroso se for para o interior de Minas Gerais.

E se escrever é uma forma de expressāo, que seja ampla, como toda viagem deve ser.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s